Tesla planeja ‘robôs-táxis’ autônomos e sem volante para 2020

Elon Musk disse que evolução do sistema Autopilot, que permitirá condução sem auxílio de motorista, deve chegar no próximo ano, mas que depende de aprovação de leis

Tesla planeja lançar em 2020 um carro sem volante, para servir como táxi-robô (Foto: Reprodução)

Tesla planeja tornar realidade em 2020 “robô-táxis” autônomos, anunciou Elon Musk, presidente-executivo da empresa, durante a apresentação de sua nova tecnologia para veículos sem motorista. O carro não tem volante.

Musk disse que ainda depende da aprovação das leis para o serviço de transporte autônomo de táxis, crucial para que os carros sem motorista comecem a funcionar de verdade. Acrescentou que a Tesla pode adicionar um aplicativo de viagens compartilhadas e os proprietários de seus carros poderiam se beneficiar disso.

A ideia é que, no futuro, os donos de veículos da montadora possam compartilhar seus carros. A Tesla não é a única empresa a projetar carros sem os controles tradicionais. A General Motors, dona da Chevrolet, anunciou há pouco mais de 1 ano que pretende produzir em série um modelo sem volante e pedais chamado Cruise AV.

A ambição da marca era colocar veículo nas ruas já em 2019, primeiro como serviço de transporte, nos EUA. ‘Ele não bebe e dirige, não usa o celular enquanto dirige, não fica triste ou cansado, nunca se distrai e não produz emissões’, dizia o comunicado da GM.

Apesar da expectativa das montadoras, é necessária uma definição sobre as regulamentações. Os dispositivos de condução autônoma ainda enfrentam desafios e diversos vários acidentes já aconteceram com este tipo de tecnologia.

A própria Tesla é investigada por diversos casos envolvendo veículos que poderiam estar utilizando o sistema semiautônomo da empresa, chamado Autopilot, incluindo um acidente fatal na Califórnia em 2018. Sua rival, a Uber, também teve um acidente fatal investigado. Um dos carros autônomos da empresa atropelou e matou um pedestre.

A empresa revelou que a nova geração do sistema Autopilot seria capaz de “autocondução completa”. A Tesla já permite a autonomia parcial para seus carros, mas o caminho para ter a autonomia total enfrenta obstáculos legais e de regulação consideráveis.

O novo chip com a tecnologia anunciada pela Tesla chega em um momento em que empresas como Waymo, a Uber e os fabricantes tradicionais também trabalham para levar ao mercado os automóveis autônomos. Musk disse que o chip, que está sendo instalado em todos os veículos da marca, tem um significado simbólico na condução autônoma.

Os veículos da Tesla não ainda não implementaram a definição padrão de autonomia de “nível 4”, em que o carro controlaria todas as funções com um humano em espera, ou uma autonomia de “nível 5”, que não necessitaria humanos.