Só 10% das empresas criam lucro econômico, diz estudo da McKinsey

Ambas se alicerça em três importantes pilares: Institucional, tendências e a que define o que a empresa faz

Estudos da consultora McKinsey concluídos em 2018, analisou mais de 2,5 mil empresas de capital aberto, pelo menos 350 no Brasil, constatou que apenas 10% geram lucro econômico. Com o resultado, a pesquisadora conseguiu chegar a ações capazes de levar outras empresas do seguimento ao resultado das empresas presentes no grupo dos 10% mais bem-sucedidas.

A estratégia criada pela McKinsey se alicerça em três importantes pilares: Institucional, tendências e, a última e mais importante, a que define o que a empresa faz.

Nesta etapa o cliente é orientado a refletir sobre o excesso de caixa gerado e como ele vai destinar esse capital. Neste ponto o estude constata que os caminhos ideias para alocação de capital é em pequenas fusões e aquisições diversas e significativas ao longo do tempo, algo que gira em torno de 20% a 30% do capital da empresa. Além de pensar na distribuição de pessoal, ou seja, pensar onde serão empregados os melhores talentos.

Brasil

Estudos da McKinsey mostram que companhias com um sistema de talentos eficaz têm 80% mais probabilidade de apresentar resultados melhores que seus concorrentes. Esse é um ponto delicado para os brasileiros. Enquanto executivos de países como EUA (70%) e China (54%) valorizam o talento, no Brasil apenas 35% das empresas focam nas pessoas. Ou seja, das empresas nacionais analisadas menos da metade prefere resolver o seu problema de talentos em detrimento do acesso a melhores condições financeiras.

Para Reinaldo Fiorini, que comanda a McKinsey no Brasil, as empresas vencedoras são mais agressivas em despesas de capital para decidir investimentos. Ainda com o executivo, essas empresas investem 1,7 vez mais do que as que têm menor performance. Por isso Fiorini recomenda que as empresas acompanhem “muito de perto” a produtividade do seu negócio para garantir que tenham receita para elevar os investimentos.

Sobre a McKinsey
Durante o período de recessão, 2015 a 2016, a empresa de consultoria apresentou um crescimento acima de um digito no Brasil. O faturamento global da consultoria ultrapassou US$ 10 bilhões em 2017. Para 2019, com a estabilidade econômica, os clientes da McKinsey continuam a crer que têm de investir não só no curto, mas também no longo prazo.

Com 30 mil membros em nível global, cerca de 17 mil deles são consultores, a McKinsey presta serviços apenas de consultoria, sem incluir auditoria, o que, segundo Fiorini, permite à empresa pensar de modo independente. Com 2,1 mil sócios no mundo e mais de 50 no Brasil, a McKinsey diz atender 90 das 100 maiores empresas globais e que 70% dos clientes estão há dez anos ou mais em carteira.


Anúncio: 407 anos São Luís