Apple anuncia em evento uma série de novos serviços digitais

Empresa busca se reinventar e espera sustentar seu ritmo de crescimento nos próximos anos com os novos serviços

Foto: Reprodução

Em um evento de quase duas horas de duração que contou com a participação até do diretor de cinema Steven Spielberg e da apresentadora Oprah Winfrey, a Apple anunciou uma série de serviços digitais com os quais a companhia espera sustentar seu ritmo de crescimento nos próximos anos.

Batizado de Apple TV+, o serviço da Apple trará conteúdos originais de nomes como Spielberg e Oprah, além de diretores como J.J. Abrams e M. Night Shyamalan. A expectativa é adicionar novos conteúdos todos os meses. O lançamento está previsto para o terceiro trimestre em mais de 100 países, ainda sem preço definido.

O serviço estará disponível nos aparelhos da Apple e também em aparelhos de TV de marcas como Samsung, LG e Sony. Ainda no mundo da TV, a Apple anunciou um renovação de seu aplicativo de conteúdo, o Apple TV e uma nova área batizada de Channels, que funcionará como um agregador de conteúdos de serviços digitais como HBO e Hulu e também de operadoras de TV a cabo.

Na semana passada, o fundador e presidente da Netflix, Reed Hastings, havia anunciado que a companhia ficará de fora dos novos serviços da Apple. A fabricante do iPhone também ampliou sua presença no mundo financeiro com o lançamento de um cartão de crédito, o Apple Card.

Emitido pelo banco Goldman Sachs com bandeira MasterCard, o cartão estará disponível no meio do ano nos EUA e funcionará dentro da carteira virtual da companhia, o Apple Pay, além de ter uma versão física feita em titânio que trará estampado apenas o logo da Apple e o nome do seu dono.

O cartão também trará recursos de administração de gastos e um sistema de recompensa que dará dinheiro de volta ao consumidor (cashback) em um percentual de 2% para compras no varejo tradicional e de 3% nas lojas da marca. Outra novidade é serviço de assinatura de notícias, o Apple News+, que custará US$ 9,99 por mês e trará material de mais de 300 publicações – dentre elas o “The Wall Street Journal”.

A empresa também vai oferecer jogos por assinatura, no Apple Arcade. A receita com serviços da Apple, que inclui a venda de aplicativos na App Store, o aluguel e a compra de filmes e música na iTunes triplicou nos últimos seis anos, saindo de US$ 3,7 bilhões no primeiro trimestre de 2013 para US$ 10,8 bilhões no mesmo período de 2019.

Boa parte da estratégia de serviços da companhia se baseia no fato de ter uma base instalada de mais de 1,4 bilhão de iPhones e iPads no mundo – contingente que pode, em algum momento, pagar por algum dos serviços.