Brasileiro do Vale do Silício dá dicas de como empreender no mundo digital

O encontro com o fundador da StartSe aconteceu nesta quinta-feira, na Faculdade ISL Wyden.

Maurício Benvenutti (à direita) explica uma experiência com máquinas falantes, ao lado do robô programado pela Pluginbot e Alvaro Manzione (à esquerda):

O efervescente ambiente de inovação de São Luís recebeu na segunda (25), no Espaço Black Swan, o escritor e palestrante Maurício Benvenutti, cofundador da StartSe, plataforma para conectar empreendedores, investidores e mentores.

Benvenutti deu um show multimídia para mais de 250 pessoas, enquanto contracenava com um robô programado com inteligência artificial. Ele ensinou à plateia as novas competências para construir carreiras e negócios na nova era digital.

O assunto é também tema do seu livro Audaz, publicado pela Editora Gente, e que já está na terceira edição. Benvenutti conta como deixou um promissor emprego na corretora XP para ir morar no Vale do Silício (EUA) e fundar a StartSe.

Há quatro anos morando em uma das regiões mais inovadoras do mundo, é a terceira vez que o empreendedor digital vem a São Luís. Convidado pela Faculdade ISL Wyden, ele falou aos jornalistas suas ideias sobre a Quarta Revolução industrial em que vivemos.

“Há enormes possibilidades de empreender em São Luís e no Maranhão”, avaliou Benvenutti.”É preciso causar impacto, olhar a próxima curva, sempre questionar, faz as coisas com as pessoas e buscar a diversidade”.

Mundo em mutação

Segundo o fundador da StartSe, o mercado tem exigido profissionais criativos e comunicativos. A exigência de empresas como o Google é que os jovens venham com ideias e vontade de fazer a diferença na sociedade. Quanto às habilidades técnicas, as próprias empresas se prontificam a qualificar.

“Nosso objetivo é formar pessoas para um mercado de trabalho dinâmico que muda constantemente”, pontuou Rodrigo Marques, presidente do grupo educacional  que inclui a Faculdade ISL Wyden e a escola COC São Luís. Marques, que também é investidor em diversas startups no Brasil e no Exterior, planeja implantar as novas técnicas de empreendedorismo no DNA de seu corpo discente e docente.

O evento no Black Swan, teve também a participação de Alvaro Manzione, cofundadorda Pluginbot, uma plataforma que junta robótica, inteligência artificial, internet das coisas e indústria 4.0. O robô que interagiu com os palestrantes no palco teve seu software desenvolvido pela empresa. “Em poucos anos, teremos robôs em todas as casas”, profetizou, parafraseando uma frase de Bill Gates que afirmava que um dia teríamos um computador em cada mesa de trabalho.

O modelo apresentado foi criado com o objetivo de interação com as pessoas, possuindo sensores que permitem que ele reconheça face, voz e expresse emoções.

Veja abaixo o vídeo em que Maurício Benvenutti (à direita) explica uma experiência com máquinas falantes, ao lado do robô programado pela Pluginbot e Alvaro Manzione (à esquerda):