Pequenos produtores abastecem multinacional para fabricar cerveja típica do Maranhão

A instalação do projeto de produção irrigada Tabuleiros de São Bernardo permite que agricultores familiares produzam mandioca suficiente para atender a produção da Cerveja Magnífica

Lourival dos Santos Brandão, produtor dos Tabuleiros de São Bernardo (Foto: Divulgação)

Situada a 404 km de São Luís, o município de Magalhães de Almeida, na Região do Baixo Parnaíba, vive momento de transformação econômica e social com o aumento da produção de mandioca graças à implantação do tabuleiro São Bernardo pelo Governo do Maranhão.

A instalação do projeto de produção irrigada Tabuleiros de São Bernardo, no Baixo Parnaíba, permite que agricultores familiares produzam mandioca suficiente para atender a produção da Cerveja Magnífica, produzida pelo grupo Ambev em uma parceria feita com o Governo do Estado.

A produção, que antes abastecia apenas pequenos mercados e a própria subsistência dos agricultores, hoje garante a matéria-prima para produção de uma das maiores cervejarias do mundo. Atualmente, cada família envolvida no programa produz entre 25 e 50 toneladas de mandioca.

Segundo o agricultor Antônio Francisco do Nascimento, que já vendeu 54 toneladas de mandioca para a produção da cerveja, antes da implantação do tabuleiro, a técnica usada era a da roça-de-toco. Com isso, levavam até um ano e meio para fazer a colheita do produto. Com a técnica de plantio irrigado, dependendo da variedade, é colhido em até oito meses, além da redução dos custos.

Apoio

Além da retomada da cooperação técnica com o Departamento Nacional de Obras contra Secas (Dnocs), para a retomada do fomento agrícola no Tabuleiros de São Bernardo, o Governo do Maranhão também investe na oferta de assistência técnica para dinamizar a produção.

A presidenta da Agência Estadual de Pesquisa Agropecuária e de Extensão Rural do Maranhão (Agerp), Loroana Santana, destaca que para expandir a produção em toda região do Baixo Parnaíba, a Agerp promove treinamento para técnicos dos municípios que atuarão como agentes multiplicadores para promover assistência técnica e incremento da produção.

Loroana explica que, com as ações do Governo do Maranhão, a produção vai garantir a oferta de matéria-prima para a produção da bebida e gerar mais renda. A estimativa é aumentar a produção de mandioca para mil toneladas até o fim de 2019.

Venda garantida

Para o agricultor Lourival dos Santos Brandão, a região tem tudo para ampliar ainda mais a produção. Segundo ele, há um contrato de compra garantida pela empresa, assim eles plantam e colhem já tendo a certeza que toda a produção será vendida para a Ambev. Com isso, as famílias produzem com planejamento.

Produção local, riqueza local 

O engenheiro agrônomo e coordenador da cooperativa de produtores que reúne 81 famílias de agricultores nos Tabuleiros São Bernardo, Jorge Pontes, explica que antes da implantação da agricultura irrigada, a produção de mandioca era destinada a outros estados.

Jorge explica que grande parte da produção era vendida a baixo preço para o estado do Ceará. A técnica antiga gerava uma distorção: o Maranhão estava em quarto lugar na produção de mandioca no Brasil, mas era um dos últimos colocados em rendimento. Ele completa dizendo que a parceria com a Ambev e a assistência técnica garantiram melhoria da renda e uso da matéria-prima para produção local.

Tipicamente maranhense

Durante o lançamento da Cerveja Magnífica, o presidente da Ambev destacou a importância na oferta de mais oportunidades de renda para maranhenses. Para Bernardo Paiva, a Magnífica contribui com o desenvolvimento da região e é oferecido para o consumidor mais uma cerveja com a qualidade da Cervejaria Ambev.

O agricultor Francisco Nascimento diz que a produção para a Ambev mudou a realidade da região. Ele afirma que jamais imaginaram que teriam a oportunidade de vender os seus produtos para a fabricação de uma cerveja típica do Estado.