Ações da Vale nos EUA caem 10% após rompimento de barragem

No início da tarde, uma das barragens da Vale, na Mina Feijão, próxima ao Córrego do Feijão, rompeu-se na cidade de Brumadinho, região metropolitana de Belo Horizonte.

Foto: Reprodução

Os reflexos da tragédia em Brumadinho, Minas Gerais, refletiram imediatamente nas ações da Mineradora Vale negociadas pela Bolsa de Valores de Nova York, que haviam iniciado o dia com leve alta, passaram a despencar logo após a divulgação do rompimento da barragem da companhia. Por volta das 15h15, as ações da multinacional brasileira eram vendidas a US$ 13,35, com recuo de 10,16% em relação ao fechamento da última quinta-feira(24), e em outras pelo mundo. Por causa do feriado de aniversário da capital paulista, as ações da Vale não estão sendo negociadas na B3. A Bovespa deverá sentir os efeitos a partir desta segunda-feira, 28.

Na B3, os papéis da mineradora acumulavam alta de 10,1% desde o início do ano até ontem (24). Na bolsa de Nova York, os papéis tinham subido 12,7% no mesmo período.

No início da tarde, uma das barragens da Vale, na Mina Feijão, próxima ao Córrego do Feijão, rompeu-se na cidade de Brumadinho, região metropolitana de Belo Horizonte.

A Vale do Rio Doce, empresa responsável pela barragem, divulgou nota informando que “as primeiras informações indicam que os rejeitos atingiram a área administrativa da companhia e parte da comunidade da Vila Ferteco. Ainda não há confirmação se há feridos no local. A Vale acionou o Corpo de Bombeiros e ativou o seu Plano de Atendimento a Emergências para Barragens”.