Setores produtivos devem crescer, segundo Simplício Araújo

O secretário destacou, ainda, o papel dos Distritos Industriais e o adensamento das cadeias produtivas, estimulado pela instalação de novos empreendimentos no Estado

Em entrevista para uma rádio da capital maranhense, o secretário de Indústria, Comércio e Energia Simplício Araújo, destacou as ações para o segmento econômico do Maranhão e perspectivas para os próximos quatro anos de gestão. Além de destacar o papel dos Distritos Industriais e o adensamento das cadeias produtivas.

Durante a entrevista ele falou sobre os programas “Maranhão Mais produtivo” e o “Selo Produzido no Maranhão”, ações da pasta com o objetivo de dar atenção e para o desenvolvimento das empresas, empresários, dos produtores locais e para a geração de emprego e renda. “Temos o “Maranhão Mais Produtivo” e o subprograma “Selo Produzido no Maranhão”, que enaltecem a produção local, dialoga com quem tem incentivo fiscal e garante uma participação mínima desses produtos para que eles possam crescer. Se a participação desses produtos cresce no Estado, cresce também a geração de emprego e renda”, explicou.

Sobre os próximos 4 anos, Simplício afirmou que a gestão tem que ser ainda melhor e trabalhe ainda mais. E, questionado sobre trabalhos que beneficiam a população, explicou a dinâmica da atração de investimentos. “Quando a empresa recebe um incentivo por parte do Estado, além de gerar emprego e contribuir com o adensamento das cadeias produtivas, também é obrigada a se comprometer com alguma contrapartida social”, analisou Araújo. “Isso já existia, mas agora acontece com transparência”.

O secretário citou como exemplo as 42 ambulâncias que estão sendo entregues, além de outros benefícios que são objetos de contrapartida social.

A Seinc tem buscado construir parceria com as pequenas empresas do estado.

Seminário – Na ocasião, também, evidenciou o próximo seminário que vai ser promovido pela Seinc, onde serão destacadas ‘Oportunidades para a cadeia produtiva do atacado e varejo supermercadista no Maranhão’, no dia 17 de janeiro, no Rio Poty Hotel. “Vamos mostrar com o evento que não existe privilégio a quem quer que seja, em qualquer segmento econômico do Estado. Vamos trazer pessoas de renome nacional para discutir sobre a guerra fiscal em âmbito nacional, além de apresentar todas as oportunidades dentro do setor”, acrescentou Simplício Araújo.