Os passos do Maranhão para o protagonismo tecnológico

O ex-iteano e atual ministro Marcos Pontes (ao centro) conversa com o governador em exercício do Maranhão Carlos Brandão e o secretário da SECTI Davi Telles - e vários deputados da bancada recém-eleita (Foto: Reprodução).

TAGIL OLIVEIRA RAMOS

A equipe da Secretaria Estadual da Ciência, Tecnologia e Inovação (SECTI) começou o ano com pique e gás. Na quarta-feira (9), estava em Brasília, numa reunião com o ministro de Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações Marcos Pontes, onde foram discutidos assuntos importantes para o futuro do Maranhão (você pode ler informações exclusivas, em primeira mão, no segundo bloco deste post).

Na terça-feira (8), a equipe mostrava, com uma ponta de orgulho, o Casarão Tech Renato Archer para um dos fundadores do Porto Digital, Cláudio Marinho, em visita à capital.

O salto quântico para o Maranhão

A reunião com o ex-iteano Marcos Pontes foi produtiva. Particularmente, acredito que o Maranhão pode ter um protagonismo importante na nova era espacial, regida pela iniciativa privada e não pelos governos.

O governador em exercício, Carlos Brandão, o secretário da SECTI e alguns deputados federais, discutiram com o “ministro-astronauta” tópicos muito importantes para o futuro do estado.

Durante o encontro, os assuntos tratados foram o destino da Base de Alcântara, a graduação aeroespacial da UFMA (com selo do meu querido e famigerado ITA – Instituto Tecnológico de Aeronáutica) e o mestrado aeroespacial em rede.

A pauta seguiu quente: falaram da ideia do Parque Tecnológico, do fomento à pesquisa para a Ciência e do Programa “Inova Maranhão”, que está levando São Luís a dar um salto quântico na questão da criação de negócios de última geração.

 

 


Anúncio: 407 anos São Luís