Maranhão bate recorde em carteiras assinadas

estado tem melhor resultado em empregos formais dos últimos 5 cinco anos

No acumulado do ano, o Maranhão obteve o melhor momento na geração de empregos dentro da formalidade, com 12,6 mil vagas adicionais. Esse foi o maior registro obtido nos últimos 5 anos, de acordo com dados Divulgados pelo Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), divulgada nesta quinta-feira (22), pelo Instituto Maranhense de Estudos Socioeconômicos e Cartográficos (Imesc) e está disponível no portal.
Abocanhando mais de 90% das vagas geradas esteve o Setor de Serviços e Agropecuária que registrou 11 mil empregos formais.Em outubro, o Maranhão gerou 935 vagas somente no setor Comércio, com destaque para o subsetor de Mercadorias em geral, sem predominância de produtos alimentícios, com 245 novas oportunidades. Já no setor de serviços foram registrados 655 novos empregos com carteira assinada. A Construção Civil foi responsável pelo maior número de desligamentos, totalizando 1,9 mil demissões líquidas no mês passado.
Os dados do Caged mostram a predominância de desligamentos em São Luís, embora o setor tenha aprofundado as demissões líquidas na maioria dos municípios maranhenses.
O economista do Imesc, Geilson Pestana, explica a razão para os desligamentos na área. “Esse cenário se deve, entre outros fatores, à desmobilização decorrente da conclusão da reinstalação da planta industrial da Usina de Pelotização em São Luís”.
Distribuição de vagas entre municípios
Dos números totais, com 5,8 mil novas vagas foram geradas na capital maranhense, São Luís. Imperatriz segue na sequência com mais de 1,5 mil novos empregos na cidade, seguida de Aldeias Altas (+989) e Balsas (+834). Açailândia, que registrou 586 novos cidadãos empregados dentro da formalidade fecha o ciclo de municípios com maior geração de emprego formal no Maranhão.
O setor de Serviços foi preponderante para o saldo positivo em São Luís e Açailândia. Já em Balsas, os segmentos do setor da Agropecuária, em especial o Cultivo de Soja (+229) e Cultivo de algodão herbáceo (+51) continuam como principais geradores de emprego formal.
Em Imperatriz, os setores da Construção Civil e Comércio foram destaque na abertura de vagas no acumulado de 2018. No setor da Construção, a geração de postos de trabalho foi expressiva nas atividades de construção de redes de abastecimento de água, coleta de esgoto e construções correlatas (+348) e obras de terraplenagem (+357).


Anúncio: 407 anos São Luís