Conjuntura econômica do Maranhão em relatório do IMESC

Edição lançada apresenta informações atualizadas sobre a dinâmica economia maranhense

Investidores maranhense e potenciais investidores já podem contar com relatório que analisa a conjuntura econômica do Estado trimestralmente. O material é produzido pelo Instituto Maranhense de Estudos Socioeconômicos e Cartográficos (Imesc) e foi lançado na última quinta-feira, 01, na capital.
Esta última edição lançada apresenta informações atualizadas sobre a dinâmica economia maranhense. Boletim toma como base o panorama das economias internacional, nacional e, sobretudo, a maranhense. Entre as dinâmicas econômicas avaliadas, o documento analisa indicadores de Nível de Atividades, tais como o PIB, a balança comercial, o mercado de trabalho e as finanças públicas.
Na parte final do documento, são apresentados os indicadores disponíveis acerca da economia maranhense. O Nível de Atividade Econômica do Estado é analisado por meio de indicadores da Produção Agrícola, Financiamento Imobiliário, Comércio, Endividamento e Inadimplência, Serviços, Investimentos e Produto Interno Bruto Maranhense.
Cenário maranhense
Apesar da revisão para baixo na produção estadual de grãos, a expectativa é que o resultado de 2018 supere o do ano anterior, sendo estimada em 4.472 mil toneladas, crescimento de 1,0% em comparação com a safra de 2017. Em relação ao comércio, dados do IBGE mostram que o Volume de Vendas do varejo maranhense apresentou alta de 0,2% na variação mensal, mas caiu 1,6 ponto percentual em relação ao mês anterior no comparativo com ajuste sazonal.
Já em relação ao mercado de trabalho, o boletim mostra a retomada do emprego formal no Estado. De acordo com o estudo, o Maranhão já soma 9,2 mil contratações líquidas no acumulado de 2018, enquanto que a Taxa de Desocupação foi de 14,3% no segundo trimestre de 2018, marcando um recuo de 1,3 pontos percentuais em relação ao trimestre anterior.
A versão completa do Boletim de Conjuntura pode ser acessada no aqui.