Curso capacita mulheres para construção civil

Os cursos são realizados no Anjo da Guarda e têm duração de 200h

A comunidade do Taim, no Anjo da Guarda, recebe esta semana cursos do projeto Mulheres que Constroem, promovidos pela Secretaria de Estado da Mulher (SEMU). A proposta de capacitação e qualificação profissional na área da construção civil começou com o curso de Aplicação de Cerâmicas na Escola das Águas, localizada na Vila Maranhão, Zona Rural de São Luís.
Na quinta-feira (25), terão início as aulas dos cursos de Pedreira e Pintora, na Casa Brasil, para moradoras da área no bairro Anjo da Guarda. Os cursos têm duração de 200 horas.
Em Imperatriz, onde as aulas começaram no dia 11 de setembro, as turmas já estão adiantadas com meta de capacitar 169 mulheres nesta primeira fase.
O projeto, que já está instalado em São Luís e Imperatriz, tem como meta democratizar o mercado de trabalho no setor da construção civil, historicamente ocupado pelos homens, incentivando as mulheres a ocuparem esse espaço.
O projeto tem como objetivo garantir oportunidade às mulheres vítimas de violência doméstica e em vulnerabilidade social. A proposta é expandir a ação a outros municípios do Maranhão.
Projeto
O Projeto de formação para mulheres no campo da construção civil contribui para o desenvolvimento sustentável com geração de trabalho e renda. O público é formado por mulheres em situação de vulnerabilidade social no estado que serão capacitadas com os cursos Básico em Pedreiro, Pintura Predial Interna e Externa, Aplicação de Cerâmicas e Assemelhadas, Assentamento de Tijolos e Regularização de Paredes e Pisos, Alvenaria Estrutural e Instalação Elétrica.
O objetivo é promover a inclusão social, o empoderamento e a autonomia econômica e financeira de mulheres em situação de vulnerabilidade sócio-econômica e violência doméstica por meio do fortalecimento e valorização do trabalho da construção civil.
A absorção de mulheres nesse setor de construção civil cresceu quase 50% nos últimos 10 anos. São mais de 200 mil mulheres espalhadas por todo país. O Maranhão é o 5º estado no país que mais empregou formalmente mulheres no mercado da construção.
O setor da construção civil é comprovadamente uma das principais alavancas do desenvolvimento econômico, seja por sua dinâmica, pelo seu efeito multiplicador ou sua capacidade de incorporar trabalhadores e trabalhadoras que não têm acesso ao ensino superior.
Considerando as ações previstas no Plano Nacional de Política para as Mulheres (PNPM), a proposta é possibilitar às mulheres que procuram seu lugar no universo criado pelos homens um apoio institucional para que as mesmas transitem no mundo da construção civil com desenvoltura e/ou que possam ocupar com dignidade um lugar no mercado do trabalho.