Elon Musk é jogado para fora do conselho da Tesla

Presepadas do executivo de tecnologia fazem ações caírem e credibilidade da marca despencar

Elon Musk, fundador da Tesla e da SpaceX: uma série de atos impensados traz prejuízo de milhões de dólares para seus empreendimentos (Foto Reprodução/Montagem)

Com quantas presepadas se joga o valor de uma companhia rentável no lixo? Resposta: se você tiver o Elon Musk na presidência, fumando maconha enquanto dá entrevista online, basta um post no Twitter.

Essa é a conclusão que se pode tirar do mais recente comunicado da Tesla, fabricante mundial de carros elétricos. Ele terá de deixar o cargo de presidente do conselho de administração por três anos.

O menino-prodígio (nem tão menino mais e nem tão prodígio assim) é acusado de fraude pela agência reguladora do setor financeiro dos Estados Unidos SEC (Securities and Exchange Commission), depois de publicado um desastroso tweet que causou um alvoroço no mercado e derrubou o valor de mercado da empresa que ele fundou 15 anos atrás.

Executivo que resolveu lançar um carro para Marte, numa das mais ousadas e controversas campanhas de marketing da história aeroespacial de outra companhia que ele comanda (a SpaceX), Musk está colhendo as consequências de mais uma de suas bravatas.

No dia 7 de agosto deste ano, ele postou um irresponsável tweet dizendo que pretendia retirar a Tesla da bolsa de valores. Não se sabe se Musk tinha fumado ou não maconha na oportunidade, mas dias depois ele teve de negar tudo por meio de um comunicado oficial.

No entanto, pode-se afirmar com certeza que uma presepada sua no mês passado derrubou o preço de mercado da Tesla (veja o vídeo abaixo)

Por estas e outras é que pode dizer que uma florestas de virtudes de um gênio da tecnologia pode ser perdida com um fósforo, usado para acender um ingênuo e despretensioso “baseado” durante uma conversa com um humorista. Pouco após o vídeo viralizar no YouTube, dois altos executivos da Tesla pediram demissão e as ações da empresa caíram mais de 6%.