Petróleo tem maior alta em quatro anos

Preço do barril chegou a quase 81 dólares

O preço do petróleo negociado na Europa chegou ao mais alto preço após quatro anos.
A alta é resultado da decisão da Organização dos Países Exportadores de Petróleo (Opep) de não aumentar a produção, apesar das pressões do presidente norte americano Donald Trump.

No Brasil, a alta anima as empresas petroleiras que ficam com mais dinheiro em caixa para fazer suas apostas no pré-sal. Na próxima sexta-feira (28), o presidente Michel Temer realiza o último leilão do seu governo.

“Estamos vivendo uma nova fase de crescimento, o fim de um ciclo de crise. Isso não significa que o barril voltará a valer US$ 140, mas também não custa US$ 30, como no pior momento”, declarou José Firmo, presidente do Instituto Brasileiro do Petróleo, Gás e Biocombustíveis (IBP), após participar da cerimônia de abertura do congresso Rio Oil & Gas, o maior do setor realizado no Brasil.

Ele lembra que, até 2014, o petróleo era comumente negociado a mais de US$ 100. Em seguida, despencou. O barril negociado para setembro saltou 3,05%, para US$ 81,20, o maior nível desde 2014.