Ressaca boa

Setor de cachaça faturou mais de R$ 10 bilhões ano passado

No último ano, o Brasil exportou 8,74 milhões de litros de cachaça com geração de receita de US$ 15,80 milhões. O setor do destilado faturou. Os números representaram crescimento de 13,43% em termos de valor e 4,32% em volume em comparação a 2016.

Dos mais 60 países importadores da cachaça brasileira, o principal deles são os Estados Unidos, que detêm 17,69% do total exportado, seguidos da Alemanha, com 17,44%.
Em termos de consumo doméstico, os números apontam para 510 milhões a 520 milhões de litros por ano, o que corresponde a 72% do mercado de destilados no país. “E a estimativa para este ano é que continue o mesmo”.

Os principais estados produtores no Brasil são São Paulo, Pernambuco, Ceará, Minas Gerais e Paraíba. Entre os principais estados consumidores destacam-se São Paulo, Pernambuco, Rio de Janeiro, Ceará, Bahia e Minas Gerais.

De acordo com o Censo Agropecuário do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), do ano passado, há 11.023 produtores de cachaça. Apesar do número, boa parte dos produtores atua sem regularização. Desses, apenas 1,5 mil mantêm registros no Ministério da Agricultura.

Segundo o diretor executivo do Instituto Brasileiro da Cachaça (Ibrac), Carlos Lima, a opção é mudar o sistema de tributação para a inclusão no Simples Nacional. “Porque além de possibilitar que micro e pequenas empresas tenham carga tributária menor, isso ajudará na redução da informalidade e da clandestinidade no setor”

De acordo com ele, o Ibrac vai atuar de forma incansável na busca da revisão da carga tributária. “O setor não aguenta novos reajustes. A preocupação do Ibrac é para que o setor não sofra novos aumentos, o que seria danoso, além da revisão da carga tributária”

Com infomações da Ag. Br