Brasil pode fechar acordo com os Estados Unidos sobre base de Alcântara

A intenção é fazer com que o Brasil participe do lucrativo mercado global voltado para atividades no espaço

A Aeronáutica também anunciou avanços na negociação com os Estados Unidos para a utilização da base pelos americanos (Foto: Divulgação)

A Força Aérea do Brasil planeja que o Centro de Lançamento de Satélites de Alcântara, no Maranhão, tenha uso comercial a partir do próximo ano. Alcântara tem uma localização ideal para os lançamentos, por ficar próxima da linha do Equador, o que propicia economizar até 30% do combustível ou transportar mais carga.

Entretanto, para o lançamento de dispositivos a partir da base, é necessário um acordo de proteção tecnológica com os Estados Unidos, porque a maioria dos foguetes tem tecnologia americana. O acordo terá efeito em cascata de permitir outros acertos bilaterais, pois muitas empresas na Europa utilizam equipamentos e peças americanas.

Na prática, os países envolvidos concordam em proteger a tecnologia utilizada, impedindo vazamentos de informação que possam prejudicar a estratégia espacial tanto do detentor do local de lançamentos quanto o proprietário dos foguetes e outros veículos usados para colocar objetos em órbita.

“Os Estados Unidos é um país que domina plenamente a área de espaço e queremos começar com boas parcerias. Nossa expectativa é que o acordo esteja pronto no início do ano que vem”, afirmou o major-brigadeiro Luiz Fernando Aguiar, da Força Aérea Brasileira, responsável pela coordenação do programa, à Agência Brasil.

A pressuposto do governo é que a exploração comercial do Centro conceba uma arrecadação de R$ 140 milhões por ano somente com a taxa de lançamento das empresas que utilizarem a base. O valor retrata cinco vezes a média do investimento anual realizado pelo no projeto espacial brasileiro nos últimos 10 anos.

Atualmente, a proposta está com o vice-presidente norte-americano, Mike Pence, que decide sobre o assunto. Para entrar em vigor, o projeto precisa ser aprovado também pelo Congresso Nacional do Brasil. Desde que foi criado, em 1985, a Base de Alcântara serviu como ponto de partida para 490 veículos (espaciais) por meio de 101 lançamentos.