Quase 11 mi de cabeças de suínos foram abatidas no segundo trimestre de 2018

Números do IBGE mostram que isso representa um aumento de 1,9% em relação ao mesmo período do ano passado

Em entrevista à Rádio Nacional, o professor da Universidade Regional do Noroeste do Estado do Rio Grande do Sul (Unijuí), Argemiro Brum, fez uma análise do o mercado do feijão, arroz, milho, soja e carnes.
Sobre o mercado suíno, Argemiro aponta que um levantamento do IBGE mostrou que no segundo trimestre de 2018, foram abatidas quase 11 milhões de cabeças de suínos no Brasil, aumento de 1,9% na comparação ao mesmo período do ano anterior, pressionando os preços internos. “O fato que esse aumento nos abates pressiona os preços internos em pelo menos dez praças em todo o Brasil.” O quilo vivo do suíno se manteve estável, apesar disso, sendo comercializado a R$ 3,59 em São Paulo, como referência nacional.
A desvalorização do real fez ainda com que os valores do arroz subissem, garante o professor. Atingiu R$ 46,00 o saco de 50kg, média gaúcha. Segundo Argemiro, o valor do feijão parou de cair tanto para o “Carioca” quanto para o “feijão Preto”. O Feijão carioca fechou entre R$ 80,00 e R$120,00 e o preto entre R$ 90,00 e 140,00 o saco de 60 kg.

Com informações da Ag. Br