Banco Central: previa do pib tem alta de 0,57%

A expectativa é que, agora, a atividade segue em alta.

O terceiro trimestre da economia brasileira começou com crescimento. O índice de atividade do Banco Central (IBC-BR) apontam um aumento de 0,57% em julho, que apontou ainda que a greve dos caminhoneiros teve um impacto menor do que o previsto.

A autoridade monetária revisou de um crescimento de 3,29% para 3,42% o comportamento da economia em junho, o mês de normalização das paralisações no setor de transporte. Isso indica que a recuperação foi ainda mais rápida do que a apontada no último mês. A expectativa é que, agora, a atividade segue em alta.

“Apesar da recuperação real da atividade em julho, dados recentes sugerem que o impulso para a frente da economia continua fraco. As condições financeiras internas mais apertadas e a incerteza política e política antes das principais eleições gerais de outubro de 2018 parecem ter tornado os agentes domésticos mais defensivos”, disse o economista-chefe para a América Latina do Goldman Sachs, Alberto Ramos.

Criado pelo Banco Central para ser uma referência do comportamento da atividade econômica, o IBC-Br adotam diferenças metodológicas em relação ao PIB cálculo do PIB divulgado pelo IBGE. Ao passo que o segundo é feito a partir da soma dos bons e serviços produzidos na economia, o indicador do Banco Central leva em conta trajetória de variáveis consideradas como bons indicadores para o desempenho dos setores da economia (indústria, agropecuária e serviços).

O indicador foi desenvolvido para servir de orientação para a a política de controle da inflação pelo Comitê de Política Monetária (Copom), uma vez que o dado oficial do Produto Interno Bruto (PIB) é divulgado pelo IBGE com defasagem em torno de três meses.